Interaja conosco através de nossas redes sociais

  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram

Atendimento

Seg - Sex: 08h às 18h

Fone: (75) 3482-2704 ou (75) 3623-5456

© Copyright - AD Informática

Recursos humanos e recrutamento: descubra 7 melhores práticas



A gestão de recursos humanos é crucial aos negócios, pois permite direcionar pessoas com acerto. Pesquisas mostram que empresas com boas práticas de RH são 51% mais competitivas, em média. Mas qual a relação entre recursos humanos e recrutamento?


Primeiro, é preciso entender que a seleção é uma das práticas de gestão de recursos humanos — talvez, a prática mais relevante. Ao encontrar e contratar gente talentosa, é possível arquitetar ótimas equipes de trabalho e obter resultados grandiosos.


Nos próximos tópicos, explicaremos as melhores práticas de recursos humanos e recrutamento, bem como as principais métricas do setor.


1. Conheça profundamente o cargo


O ótimo recrutamento começa na análise da vaga. É preciso conhecê-la ao máximo, avaliar suas principais demandas e as competências necessárias ao seu novo ocupante. Desse modo, terá mais chances de recrutar bons candidatos e selecionar com acerto.


A análise do cargo é composta por diferentes etapas. O mais importante é definir o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes (CHA) demandadas. Por exemplo, algumas vagas demandam concentração e outras proatividade. É preciso analisar!


Nesse processo, é interessante envolver o superior imediato. Melhor do que ninguém, ele sabe a demanda do cargo, qual o perfil ideal para o novo ocupante e quais serão os maiores desafios. Portanto, envolva o superior imediato na descrição do cargo.


2. Avalie o alinhamento com a cultura


Ao liderar pessoas, é fácil perceber que elas compartilham de um conjunto de crenças, hábitos e valores — uma espécie de DNA interno, tecnicamente chamado de cultura organizacional. É importante que os recém-contratados compartilhem dessa cultura.


A busca por candidatos alinhados à cultura da empresa é chamada de fit cultural. Nesse sentido, não basta focar nas competências técnicas (experiência ou formação, por exemplo), também é preciso analisar o comportamento dos candidatos à vaga.


Há diferentes maneiras de avaliar o alinhamento cultural, o uso de testes de perfil comportamental é o mais adequado. Assim saberá se o talento tem perfil dominante, influente ou estável, por exemplo. Também é possível usar dinâmicas em grupo.


3. Conte com os melhores meios de recrutamento


Há muitos meios para fazer o recrutamento dos candidatos, podendo ser divididos em dois: offline e online. No primeiro caso, destacam-se as agências de emprego, headhunters, anúncios em jornais e/ou revistas especializadas — para citar exemplos.


No meio online, há um número muito maior de canais, como as redes sociais, páginas de carreira, bancos de currículos e sites de empregos. Também há canais dedicados à seleção de categorias específicas de profissionais, como desenvolvedores ou designers.


É preciso selecionar um canal que chegue ao seu público-alvo. Se for um executivo de alto escalão, por exemplo, o headhunter pode ser a melhor opção. Nos outros casos, os meios digitais são uma boa opção, pois impactam um grande número de pessoas.


4. Faça a triagem dos currículos profissionais


Após abrir uma vaga de trabalho, é provável que receba centenas ou até milhares de currículos. O problema é que a maioria não conta com as competências mínimas para fazer parte do time. Logo, não têm condições de passar para a próxima etapa.


Nesse sentido, aproveite para fazer uma triagem. Use a descrição dos conhecimentos, habilidades e atitudes (CHA), nossa primeira dica, e avalie quais candidatos possuem competências técnicas e comportamentais adequadas. Assim, terá maior acerto.


Fazer essa triagem de forma manual pode custar muito tempo, energia e dinheiro, tornando o processo de contratação mais caro. O mais interessante é contar com um software de recrutamento e seleção que faça a triagem com autonomia e acerto.


5. Monitore os indicadores de desempenho


Ao longo da etapa de recrutamento, há muitos indicadores que demonstram se o processo está sendo bem executado ou se precisa de ajustes, como o turnover. Eles também ajudam a planejar a melhoria contínua, garantindo o progresso do recrutamento e seleção.


Entre os principais indicadores, é possível destacar o tempo médio do recrutamento, total de gastos, número de candidatos por vaga e o percentual de processos fechados dentro do prazo. Assim, o gestor pode avaliar o que precisa de melhorias pontuais.


É importante destacar que bons sistemas de gestão monitoram um ou vários desses indicadores de forma autônoma, isto é, sem que o gestor precise se envolver sempre. Logo, fica mais fácil ter uma visão sistêmica e acertada da etapa de recrutamento.


6. Faça uma entrevista semiestruturada


Ao longo da contratação de novos profissionais, a entrevista é uma das etapas mais importantes. É o momento em que candidato e selecionador ficam cara a cara, podem eliminar as dúvidas existentes e avaliar se possuem afinidade para trabalhar juntos.


Para obter maior proveito dessa etapa, é preciso criar uma entrevista semiestruturada. Significa que algumas perguntas devem ser pensadas com antecedência, outras devem emergir ao longo da entrevista e de acordo com as peculiaridades de cada candidato.


Também é interessante criar perguntas abertas, que não podem ser respondidas apenas com “sim” ou “não”. Então, no lugar de perguntar se o profissional gosta da carreira de gestão, pergunte o motivo pelo qual ele escolheu seguir essa carreira.


7. Conte com boas tecnologias de R&S


Há uma série de tecnologias que podem facilitar todo o recrutamento e tornar a gestão de recursos humanos mais competitiva. Não por acaso, 56% dos setores de RH estão redesenhando seus processos para aproveitar ferramentas digitais.


Dentro do recrutamento e seleção, os próprios softwares de R&S já fazem grande diferença. Eles permitem a gestão das vagas abertas, monitoramento dos indicadores, comunicação com os candidatos, entre muitas outras tarefas. Logo, são estratégicos.


É preciso pensar na tecnologia como uma forte aliada da gestão de pessoas, afinal, ela permite fazer muito mais com menos recursos. Também garante que os gestores de RH foquem nas atividades estratégicas, deixando a burocracia a cargo dos sistemas.


Como pode observar, há diferentes práticas para tornar o processo de recrutamento mais ágil, estratégico e acertado. É preciso conhecer a vaga profundamente, avaliar o perfil comportamental dos candidatos, considerar a cultura da empresa e usar boas tecnologias em seu benefício. Assim, no fim, os benefícios serão os mais diversos.


Fonte : http://www.kenoby.com


#adinfosrt #rherecrutamento

17 visualizações